HOME NOTÍCIAS TOP 10 PROGRAMAÇÃO MENSAGENS FOTOS VÍDEOS CONTATO

NOTÍCIAS
Focos de calor aumentam 80% em Minas antes do mês mais crítico para incêndios
03/09/2019 às 11:24:44

As queimadas se espalham por Minas Gerais. Imagens de satélite do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostram que o estado está em chamas. E tudo ainda pode piorar, já que setembro é, historicamente, o mês mais crítico. De janeiro a agosto deste ano, os satélites detectaram um crescimento de 80,2% no número de focos ativos no território mineiro em relação ao total registrado nos primeiros oito meses de 2018. E os cuidados devem ser redobrados nos próximos dias devido às altas temperaturas. Depois de bater recorde do dia mais quente do inverno, Belo Horizonte deve ter sequência de temperaturas acima dos 30°C nesta semana. A umidade relativa do ar também vai alcançar níveis críticos.

Desde o início do ano, as ocorrências de queimadas vêm se alastrando por Minas Gerais. Nos primeiros oito meses de 2019, o número de incêndios foi menor do que o registrado no mesmo período do ano passado somente em maio. De janeiro a agosto, foram 3.152 focos ativos detectados pelos satélites do Inpe. Em 2018, os registros ficaram em 1.749. A situação tende a piorar, pois setembro é considerado o início do período mais crítico. Somente nos dois últimos dias, foram registradas 45 ocorrências.

situação de Minas segue a tendência do Brasil. Desde o começo do ano, 47.805 focos de queimadas foram detectados pelo Inpe. Os dados equivalem a quase o dobro do total registrado no mesmo período de 2018, quando houve 23.405 focos no país. O primeiro dia de setembro registrou 980 focos de queimadas na Amazônia, de acordo com o Inpe. No o mesmo dia do ano passado, o programa contou 880.

 
Entre o domingo e ontem, ao menos dois grandes incêndios foram atendidos pelo Corpo de Bombeiros em Minas. Em Santa Luzia, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, as chamas se espalharam rapidamente pela vegetação localizada às margens da Avenida Beira Rio, no Bairro Boa Esperança. Ao menos quatro viaturas foram empenhadas. As labaredas assustaram moradores e atingiram a rede elétrica. As causas ainda estão sendo investigadas.  Outra ocorrência foi registrada em Uberlândia, na Região do Triângulo Mineiro. As chamas se alastraram por uma reserva florestal localizada na Avenida Carlito Cordeiro, no Bairro Jardim Botânico. O fogo começou a ser combatido na tarde de domingo. Mas somente na manhã de ontem os militares conseguiram contê-lo.
 

Forças de combate


O aumento das ocorrências de incêndio é uma preocupação. Como o Estado de Minas mostrou na edição de domingo, enquanto o estado anuncia o envio de equipe do Corpo de Bombeiros para reforçar o combate a incêndios na Região Amazônica, a corporação está presente em apenas 76 municípios de Minas, menos de 10% do total das 853 cidades. O efetivo é outra questão delicada: são 6 mil militares, quando seria necessário pelo menos mais um terço, ou 2 mil agentes, para cuidar de 3,5 milhões de hectares apenas de vegetação protegida – sem considerar áreas fora das unidades de conservação e as demandas cotidianas dos bombeiros. Apenas até julho, eles atenderam média diária superior a 1 mil ocorrências.

 
A Associação dos Praças Policiais e Bombeiros Militares de Minas Gerais (Aspraalerta sobre a defasagem do número de militares para essa tarefa, sustentando que, para dar conta de atender a todo o estado, o efetivo deveria ser de 8 mil agentes. Ainda segundo a entidade, a atual administração do governo estadual barrou a efetivação este ano de 500 militares concursados.
 

Calor de 30°C


Depois de uma temporada de frio, os moradores de Belo Horizonte devem se preparar para o calor. No domingo, a capital mineira registrou o dia mais quente do inverno. Os termômetros marcaram 33°C. A expectativa era que ontem a marca fosse iguala ou até batida. Mas uma frente fria que está no litoral sudeste fez aumentar a nebulosidade e o número não foi superado. A tendência é que os dias quentes continuem até sexta-feira, com máxima acima de 30°C. A umidade relativa do ar poderá atingir níveis preocupantes, com índices abaixo dos 30%.
 
calor é característico de setembro, que é um mês de transição do inverno para a primavera.  “A climatologia, com base em ao menos 30 anos de observação, mostra que setembro é um mês de transição do inverno para a primavera. Por isso, entre setembro e outubro, temos, tradicionalmente, as maiores temperaturas. Isso ocorre porque não chove nesta época há muito tempo e há pouca nebulosidade. Isso também faz com que os índices de umidade fiquem críticos”, afirma a meteorologista Anete Fernandes, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).
 
especialista alerta que neste período pode haver temporais, até com queda de granizo. “Em setembro, normalmente temos as primeiras pancadas de chuva, mas que não significam o início do período chuvoso. Devido às altas temperaturas, podemos ter precipitação com granizo e rajadas de ventos”, explicou. Cidades o interior de Minas já podem ter chuva nesta semana. Uma frente fria que está no litoral sudeste favorece para a formação de áreas de instabilidade na Zona da Mata, Sul e Campos da Vertentes. Situação que vai permanecer até amanhã. Na Região Metropolitana de Belo Horizonte, o calor deve prevalecer. “Teremos dias com céu parcialmente nublado e com formação de névoa seca. A temperatura máxima tende a ficar entre 30°C e 32°C”, explicou Anete Fernandes.
 
 




MÚSICA
CENTRAL GOSPEL MUSIC E MK MUSIC
CENTRAL GOSPEL MUSIC E MK MUSIC


MENSAGEM
Adoração inestimável
Adoração inestimável


AGENDA
PROGRAMAÇAO
PROGRAMAÇAO


Twitter da Rádio Manancial de Paz FM Facebook da Rádio Manancial de Paz FM
© Manancial de Paz FM 2019. Todos os direitos reservados. Webmail

Manancial de Paz FM

Fale Conosco